fechar

Abajur

Abajur para todos os tipos de ambiente, os mais variados modelos você encontra logo abaixo

  • Clique Aqui e Saiba Mais...

    Abajur: o que é, como escolher e sua historia

    Você já parou para pensar na importância de um abajur na decoração e na iluminação de um ambiente? Esse objeto, que tem origem francesa e significa “abaixar a luz” ou “quebra-luz”, é capaz de criar uma atmosfera aconchegante, charmosa e confortável, além de auxiliar nas atividades que exigem uma luz mais suave e indireta, como ler, estudar ou relaxar.

    Neste texto, vamos descrever o que é um abajur, quais são os seus principais tipos, como escolher o modelo ideal para cada ambiente e onde comprar o seu. Acompanhe!

    O que é um abajur?

    Um abajur é um objeto que resguarda e atenua a luz de uma lâmpada, impedindo que os olhos tenham contato direto com ela. Ele é composto por uma base, que pode ser de metal, madeira, plástico ou outro material, e uma cúpula, que pode ser de tecido, papel, vidro ou outro material. A cúpula é a parte responsável por filtrar e difundir a luz, podendo ter diferentes formatos, cores e estampas.

    O abajur é um item muito tradicional e versátil na decoração de ambientes internos, podendo ser usado em quartos, salas, escritórios, halls e outros espaços. Ele pode ter diferentes estilos, desde os mais clássicos e elegantes até os mais modernos e despojados, combinando com diversos tipos de móveis e acessórios.

    Quais são os tipos de abajur?

    Existem vários tipos de abajur, que se diferenciam pelo formato, pelo tamanho, pelo material e pela função. Veja alguns dos mais comuns:

    • Abajur de mesa: é o tipo mais popular e prático de abajur, que pode ser colocado sobre mesas, criados-mudos, escrivaninhas, aparadores e outros móveis. Ele é ideal para iluminar pontos específicos do ambiente, como a área de leitura, de estudo ou de trabalho. Ele pode ter diferentes alturas, sendo recomendado que a cúpula fique na altura dos olhos, para evitar ofuscamento. Ele também pode ter diferentes formatos de base e de cúpula, podendo ser redondo, quadrado, triangular, oval, cônico, cilíndrico ou outro.
    • Abajur de chão: é o tipo mais imponente e decorativo de abajur, que pode ser colocado no chão, ao lado de sofás, poltronas, camas ou em cantos vazios. Ele é ideal para iluminar ambientes amplos e coletivos, como salas, lobbies e halls. Ele costuma ter uma altura entre 1,5 m e 2 m, sendo recomendado que a cúpula fique acima da altura dos olhos, para evitar sombras. Ele também pode ter diferentes formatos de base e de cúpula, podendo ser arqueado, articulado, tripé, torre, globo ou outro.
    • Abajur de parede: é o tipo mais charmoso e sofisticado de abajur, que pode ser fixado na parede, ao lado ou acima de espelhos, quadros, prateleiras ou outros elementos. Ele é ideal para complementar a iluminação geral do ambiente, criando pontos de luz que valorizam os detalhes. Ele costuma ter uma profundidade entre 10 cm e 20 cm, sendo recomendado que a cúpula fique a uma distância de pelo menos 30 cm da parede, para evitar aquecimento. Ele também pode ter diferentes formatos de base e de cúpula, podendo ser arandela, pendente, spot, fita de LED ou outro.

    Como escolher o abajur ideal?

    Para escolher o abajur ideal para o seu ambiente, é preciso levar em conta alguns fatores, como:

    • A função do abajur: o abajur pode ter uma função apenas decorativa, criando um efeito visual interessante no ambiente, ou também funcional, auxiliando nas tarefas que exigem uma iluminação mais adequada, como ler, estudar ou relaxar. Para a função decorativa, os abajures de chão, de parede e de mesa com cúpulas coloridas, estampadas ou com formas diferentes são boas opções, pois chamam a atenção pela sua beleza e originalidade. Para a função funcional, os abajures de mesa com cúpulas cônicas, translúcidas e com algum nível de opacidade são as mais recomendadas, pois iluminam de maneira difusa e suave, ao mesmo tempo que oferecem clareza para a atividade.
    • O estilo do ambiente: o abajur deve estar em harmonia com o estilo do ambiente, seja ele clássico, moderno, rústico, industrial ou outro. Para isso, é preciso observar o formato, o material, a cor e o acabamento do abajur, e escolher aqueles que combinam com os demais elementos do ambiente, como os revestimentos, os móveis, os metais e os acessórios. Por exemplo, um abajur de metal com cúpula de vidro combina com um ambiente moderno e minimalista, enquanto um abajur de madeira com cúpula de tecido combina com um ambiente rústico e aconchegante.
    • O tamanho do ambiente: o tamanho do ambiente influencia na quantidade e na potência dos abajures. Ambientes pequenos podem ser bem iluminados com um único abajur de mesa, que pode ser colocado sobre um móvel ou no chão, dependendo da altura disponível. Ambientes grandes podem receber mais de um abajur, de diferentes tipos e tamanhos, criando um jogo de luz e sombra que valoriza o espaço. É importante que os abajures não atrapalhem a circulação nem a ventilação do ambiente, e que sejam proporcionais ao tamanho dos móveis e dos objetos ao redor.
    • O tipo de lâmpada: o tipo de lâmpada é um fator determinante para a qualidade da iluminação do abajur, pois interfere na cor, na intensidade e na durabilidade da luz. As lâmpadas mais indicadas para abajures são as de LED, que são econômicas, duráveis, ecológicas e versáteis, podendo ser encontradas em diferentes temperaturas de cor, que vão do branco frio ao branco quente. O branco frio é mais indicado para a iluminação funcional, pois é mais claro e estimulante, enquanto o branco quente é mais indicado para a iluminação decorativa, pois é mais aconchegante e relaxante.

    A história do abajur: da França para o mundo

    O abajur é um objeto que resguarda e atenua a luz de uma lâmpada, impedindo que os olhos tenham contato direto com ela. Ele é composto por uma base, que pode ser de metal, madeira, plástico ou outro material, e uma cúpula, que pode ser de tecido, papel, vidro ou outro material. A cúpula é a parte responsável por filtrar e difundir a luz, podendo ter diferentes formatos, cores e estampas.

    Mas você sabe como surgiu esse objeto tão versátil e tradicional na decoração e na iluminação de ambientes internos? Neste texto, vamos descrever a história do abajur, desde o seu surgimento nas ruas de Paris no século XVI até os modelos atuais que encantam pela sua beleza e originalidade. Acompanhe!

    O surgimento do abajur em Paris

    A história do abajur começa no século XVI no centro de Paris, na França, onde ele surgiu como um objeto que resguardava e atenuava a luz das ruas. O nome abajur vem do francês abat-jour, que significa “abaixar a luz” ou “quebra-luz”. Na época, as ruas eram iluminadas por tochas ou lampiões a óleo, que emitiam uma luz forte e ofuscante, além de fumaça e mau cheiro. Para evitar esses inconvenientes, os moradores colocavam telas ou chapéus de palha sobre as fontes de luz, criando uma iluminação mais suave e indireta.

    Essa solução simples e prática logo se tornou popular e se espalhou por outras cidades da Europa, dando origem aos primeiros abajures. Eles eram feitos de materiais simples e baratos, como papel, tecido, palha, metal ou madeira, e tinham formas variadas, como cônicas, cilíndricas, esféricas ou piramidais. Eles eram colocados sobre as lâmpadas ou fixados nas paredes, criando um efeito visual interessante e aconchegante.

    O aprimoramento do abajur com a eletricidade

    A história do abajur teve uma grande mudança com a invenção da lâmpada elétrica por Thomas Edison em 1879. A lâmpada elétrica era mais segura, durável, econômica e ecológica do que as lâmpadas a óleo, e permitia uma iluminação mais clara e uniforme. No entanto, a lâmpada elétrica também tinha alguns problemas, como o excesso de brilho, o calor e a fragilidade do filamento. Para resolver esses problemas, os abajures foram adaptados para a nova fonte de luz, ganhando novos materiais, formatos e cores.

    Um dos primeiros e mais famosos abajures elétricos foi criado pelo designer norte-americano Louis Comfort Tiffany em 1895. Ele usou uma técnica de envolver pedaços de vidro colorido em fita de cobre, formando cúpulas decorativas e luxuosas, que lembravam vitrais ou mosaicos. As cúpulas de Tiffany tinham diferentes formas, como florais, geométricas, orientais ou art nouveau, e eram colocadas sobre bases de metal ou cerâmica, com detalhes em bronze ou ouro. As cúpulas de Tiffany se tornaram um símbolo de elegância e sofisticação, e até hoje são admiradas e reproduzidas.

    A diversidade do abajur na atualidade

    A história do abajur continua na atualidade, com uma grande diversidade de modelos, estilos, materiais e cores. O abajur se tornou um item essencial na decoração e na iluminação de ambientes internos, podendo ser usado em quartos, salas, escritórios, halls e outros espaços. Ele pode ter diferentes tipos, como de mesa, de chão ou de parede, e diferentes funções, como decorativa ou funcional. Ele pode combinar com diversos tipos de móveis e acessórios, e criar diferentes atmosferas, como clássica, moderna, rústica, industrial ou outra.

    O abajur é um objeto que pode fazer toda a diferença na decoração e na iluminação de um ambiente, criando uma atmosfera agradável, confortável e personalizada. Ele é o resultado de uma longa e fascinante história, que começou nas ruas de Paris no século XVI e se espalhou pelo mundo, se adaptando às novas tecnologias, tendências e necessidades.

    Conclusão

    O abajur é um objeto que pode fazer toda a diferença na decoração e na iluminação de um ambiente, criando uma atmosfera agradável.

Ver como Grade Lista

Itens 49-60 de 118

2 3 4 5 6
por página
Definir Direção Decrescente
Ver como Grade Lista

Itens 49-60 de 118

2 3 4 5 6
por página
Definir Direção Decrescente